Ciclo de vida da Schistosoma mansoni (Parte 1)

Posted on

Ovo do Shistosoma Mansoni: parasita causador da forma intestinal da Esquistossomose O que é (resumo) A esquistossomose é uma moléstia causada por parasitas humanos.

Quando o parasita passa a habitar no interior do hospedeiro definitivo, ele pode se fixar no fígado, na vesícula, no intestino ou bexiga do homem, causando, desta forma, vários danos. No Brasil é conhecida popularmente como “xistose”, “barriga d’água” e “doença dos caramujos”. No ciclo da doença estão envolvidos dois hospedeiros, um definitivo e outro intermediário. Em contato com a água, os ovos eclodem e liberam larvas, denominadas miracídios, que infectam os caramujos, hospedeiros intermediários, que vivem nas águas doces. Na forma crônica a diarréia se torna mais constante, alternando-se com prisão de ventre, e pode aparecer sangue nas fezes. A transmissão desse parasita se dá pela liberação de seus ovos através das fezes do homem infectado. Na água, as larvas (cercarias) penetram na pele e/ou mucosa do homem, reiniciando o ciclo. fato é que para que o ciclo de vida do parasita se complete, é necessário que o miracídio No Brasil, esta doença é causada pela espécie Schistosoma mansoni e tem como seu hospedeiro definitivo o homem, necessitando de um hospedeiro intermediário, o caramujo, para completar seu ciclo evolutivo.

Mosca -do-berne e parasita ou predadoraranha e parasita ou predadora pulga e parasita ou predadoro mosquito é parasita ou predadorcaranguejo e parasita ou predador

  • Evitar banhar-se em lagoas de coceira
  • Eliminação dos caramujos
  • saneamento básico.

Na água, os ovos eliminados pelo homem na urina e nas fezes, evoluem para larvas.

Alguns desses ovos podem alcançar a bexiga e o intestino, sendo eliminados pelas fezes e urina, fechando o ciclo. A água torna-se contaminada com o parasita quando os indivíduos infectados com a esquistossomose defecam ou urinam na água, liberando os ovos do parasita, que depois eclodem. O parasita pode sobreviver por até 48 horas após entrar na água e durante este tempo nada em torno de procurar um anfitrião humano. Quando o parasita schistosoma encontra um hospedeiro na água, ele toca em sua pele. Alguns destes ovos podem então migrar para a bexiga ou intestino, onde são transmitidos para a urina ou fezes e excretados. Cerca de metade desses ovos serão liberados na urina e fezes do ser humano, mas alguns permanecerão no corpo e circularão de volta para o fígado. Os sintomas da esquistossomose aguda podem desenvolver-se algumas semanas depois que o parasita do esquistossomo primeiro toca na pele de seu hospedeiro humano. Estes sintomas são em resposta aos ovos do primeiro parasita ficar preso no fígado e baço. Quase todas as pessoas que recebem o tratamento para a doença causada pelo parasita Schistosoma mansoni apresentam melhora, demonstrando eficácia para o tratamento.

Na doença esquistossomose como esse parasita prejudica o funcionamente do corpo humano?

  • Existem três principais espécies de esquistossoma que causam esquistossomose em seres humanos:
  • Schistosoma haematobium
  • Schistosoma mansoni
  • Schistosoma japonicum

O risco de esquistossomose pode ser reduzido através da melhoria da qualidade da água através do abastecimento de água potável e de uma eliminação mais eficaz das águas residuais.

A esquistossomose é uma doença infecciosa parasitária, causada pelo verme trematódeo Schistosoma mansoni​, que habita os vasos sanguíneos do fígado e intestino humano. A doença também é conhecida por “barriga d’água”​ e pode evoluir para formas clínicas extremamente graves que podem levar à morte. O hospedeiro definitivo do Schistosoma mansoni é o homem que elimina os ovos do verme através de suas fezes. Após 4 a 6 semanas, as larvas abandonam o caramujo na forma de cercárias e voltam para a água. A fase aguda representa o início da doença e caracteriza-se pela dermatite cercariana provocada pela penetração das cercárias na pele. Após 1 a 2 meses, aparecem os sintomas que caracterizam a forma aguda da esquistossomose, como: Na fase crônica, o fígado costuma ser o órgão mais comprometido. Basicamente a contaminação ocorre através da pele, quando a pessoa entra em contato com água contaminada. Por isso, agricultores, pescadores, mulheres e crianças são mais vulneráveis a ter esta doença após pescar, lavar roupa ou tomar banho em água poluídas. Após a pessoa ser curada da esquistossomose ela pode voltar a se contaminar com este parasita se entrar em contato com águas contaminadas.

Esquistossomose ou barriga d’água ou bilharziose Verme causador: Shistosoma mansoni

  • Intestinos: É a forma mais comum, podendo ser assintomática ou caracterizada por diarreias que podem apresentar muco e sangue.
  • Baço: Aumento do órgão.
  • Fígado: Aumento do órgão.

Nos hospedeiros intermediários, ocorre a multiplicação destas formas do parasito, resultando em uma forte sintonia entre o metabolismo do hospedeiro invertebrado e do parasito 5,9.

Após quatro a seis semanas de infecção, as cercárias são liberadas pelo molusco estimuladas pela luminosidade e nadam ativamente em busca do hospedeiro definitivo 2,3. Em contato com a água contaminada, o humano (hospedeiro definitivo) se infecta através da penetração ativa das cercárias na pele (Neves, 2005). Após a invasão da pele, que ocorre em poucos minutos, as cercárias perdem a cauda e passam por outras transformações morfológicas e bioquímicas dando origem aos esquistossômulos. Do sistema porto-hepático, os vermes adultos migram para os vasos mesentéricos, local onde ocorre a oviposição, reiniciando o ciclo 2,3,16. Adaptado de http://belanich.pbworks.com/w/page/13055428/Trematodes Parasita Shistosoma: causador da doença O que é A esquistossomose, também conhecida como bilharzíase, é uma doença provocada por parasitas humanos, os trematódeos, do gênero Schistosoma. Essa doença é causada por um verme Platelminto – Schistossoma mansoni – que durante seu ciclo de vida possui o homem como Hospedeiro Definitivo e o caramujo como hospedeiro intermediário. O Ciclo da Doença – Esquistossomose I) O verme adulto vive nos vasos do sistema porta-hepatico, um conjunto de veias que atravessam o figado. Saindo do ovo, o Miracídio nada em busca do hospedeiro intermediário, um caramujo (molusco) pertencente ao gênero Biomphalaria, que habita locais de água pouco corrente ou estagnada, principalmente lagoas. Os sintomas mais agudos surgem quando os vermes amadurecem no organismo humano, após quatro a seis semanas da infecção.

O papel do ferro na modulação da infecção causada por Schistosoma Mansoni: do hospedeiro ao parasita

O parasita pode ou não causar doença no hospedeiro.

Normalmente os parasitos são específicos dos hospedeiros, mas existem espécies de parasitas que conseguem se instalar em duas ou mais espécies de hospedeiros durante o seu ciclo de vida. Na infecção, ocorre a invasão e colonização do organismo hospedeiro por parasitas internos, como helmintos (Taenia saginata) e protozoários (Giárdia, Tripanossomo). A esquistossomose, também conhecida como barriga d’água ou doença do caramujo, é uma infecção causada por parasitas do gênero Schistosoma. Além do contato direto com a pele, o ingestão de água contaminada com cercárias também é uma via de contaminação pelo S. mansoni. Após penetrar a pele e encontrar sangue, a larva viaja pelas veias, passa pelo coração, atinge os pulmões e por fim, chega ao fígado. Após o acasalamento, macho e fêmea migram para as veias mesentéricas onde serão depositados os ovos, reiniciando todo o ciclo descrito. O ser humano infectado pelo S. mansoni começa a eliminar ovos a partir de 5 semanas após a infecção. A suscetibilidade ao verme é universal, isto é, qualquer pessoa, independente de idade, sexo ou grupo étnico, que entre em contato com as cercárias pode contrair a doença. Apenas resumindo o que foi explicado em detalhes na primeira parte,  a esquistossomose é uma doença causada por um parasita que habita os vasos sanguíneos do sistema intestinal.

Transmissão da Esquistossomose – Ciclo de Vida do Parasita

A larva penetra a pele, atinge os vasos sanguíneos e vai em direção ao fígado e aos vasos dos intestinos, onde coloca seus ovos, reiniciando o ciclo.

a. Infecção inicial Os primeiros sintomas da infecção pelo Schistosoma podem ocorrer imediatamente após a invasão da pele pelo parasita. A Febre de Katayama é a fase aguda da esquistossomose, sendo causada por uma reação do sistema imune à migração e à produção de ovos do parasita no organismo. Alguns pacientes permanecem contaminados, eliminando ovos nas fezes, mas sem apresentar sinais de doença. Os ovos do parasita são geralmente depositados nas veias mesentéricas, mas podem migrar tanto para o intestino quanto para a veia porta e fígado. A intensa resposta inflamatória do corpo contra os ovos pode causar ulcerações na parede do intestino, granulomas e obstrução à passagem das fezes. Esquistossomose hepatoesplênica Pacientes contaminados com uma grande carga de parasitas são mais propensos a produzir a doença no fígado. Se a suspeita de esquistossomose for grande, mas o exame de fezes for negativo, a biópsia do reto (porção final do intestino logo antes do ânus)  pode detectar os ovos.